quinta-feira, 30 de abril de 2015

AI-5 VOLTA NO PARANÁ E ACABA COM PROTESTOS DE PROFESSORES

 Foi um cenário de ditadura, de povo sem liberdade. Fez lembra o AI-5, quando, na ditadura Militar no Brasil, todos os direitos foram tirados da população, como se não fôssemos brasileiros, ou mesmo gente.
Os professores, além de ganharem um salaŕio mal pago, de ser tratados como trabalhador de terceira categoria, teve que lidar com os como cachorros do governo, a polícia militar do Paraná, despreparada para lidar com pessoas, mas preparada para vir com truculência contra os professores,como se fossem bois soltos, correndo loucamente, e não cidadãos formadores de outros cidadãos para Estado. Se tratam assim trabalhadores que são fundamentais para o crescimento da economia, de todo tipo de desenvolvimento, que são os professores, que valor pode ser dado a um governo assim?
A revolta dos mestres foi contra o roubo do fundo de previdência deles, pois as raposas do covil da ALEP tiraram dos professores o direito de receber, como deveriam, o dinheiro dessa previdência, mas foram roubados. É muito cinismo desse governo. A guerra foi intensa, com repórteres e professores sangrando, as costas feridas, outros, feridos no rosto, alguns chorando, mulheres no chão, sufocadas pelas fumaça da bomba de efeito imoral. É isso que merecem pessoas que trabalham para fomentar a educação de nossos filhos? Esse estado já está no fundo do poço, vendido, moralmente falando.O número de feridos ultrapassa o de cem pessoas, fora outros não contabilizados. Beto Richa, o governador, richado, não quer saber de diálogo com ninguém ,pois está acostumado a lidar com cavalos, e pensa que os professores vivem rinchando, por isso, acha que eles não merecem diálogo. É um governo animal, usando uma política animal. O absurdo é que mesmo depois desses protestos, os deputados, de maioria governista, não dando a mínima para os mestres, aprovaram essa mudança;o roubo legalizado, uma política cínica e descabida, coisa de porco chauvinista.
Será que a Ditadura voltou e não estamos dando conta disso? Parece que o AI-5 entrou em vigor, de novo, no Paraná. Às armas, companheiros!

quarta-feira, 29 de abril de 2015

CÁLICE

Chico Buarque

Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue

Como beber dessa bebida amarga
Tragar a dor, engolir a labuta
Mesmo calada a boca, resta o peito
Silêncio na cidade não se escuta
De que me vale ser filho da santa
Melhor seria ser filho da outra
Outra realidade menos morta
Tanta mentira, tanta força bruta

Como é difícil acordar calado
Se na calada da noite eu me dano
Quero lançar um grito desumano
Que é uma maneira de ser escutado
Esse silêncio todo me atordoa
Atordoado eu permaneço atento
Na arquibancada pra a qualquer momento
Ver emergir o monstro da lagoa

De muito gorda a porca já não anda
De muito usada a faca já não corta
Como é difícil, pai, abrir a porta
Essa palavra presa na garganta
Esse pileque homérico no mundo
De que adianta ter boa vontade
Mesmo calado o peito, resta a cuca
Dos bêbados do centro da cidade

Talvez o mundo não seja pequeno
Nem seja a vida um fato consumado
Quero inventar o meu próprio pecado
Quero morrer do meu próprio veneno
Quero perder de vez tua cabeça
Minha cabeça perder teu juízo
Quero cheirar fumaça de óleo diesel
Me embriagar até que alguém me esqueça

NO CAMINHO COM MAIAKOVSK


Eduardo Alves da Costa


Assim como a criança
humildemente afaga
a imagem do herói,
assim me aproximo de ti, Maiakóvski.
Não importa o que me possa acontecer
por andar ombro a ombro
com um poeta soviético.
Lendo teus versos,
aprendi a ter coragem.

Tu sabes,
conheces melhor do que eu
a velha história.
Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem:
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.

Nos dias que correm
a ninguém é dado
repousar a cabeça
alheia ao terror.
Os humildes baixam a cerviz;
e nós, que não temos pacto algum
com os senhores do mundo,
por temor nos calamos.
No silêncio de meu quarto
a ousadia me afogueia as faces
e eu fantasio um levante;
mas amanhã,
diante do juiz,
talvez meus lábios
calem a verdade
como um foco de germes
capaz de me destruir.

Olho ao redor
e o que vejo
e acabo por repetir
são mentiras.
Mal sabe a criança dizer mãe

e a propaganda lhe destrói a consciência.
A mim, quase me arrastam
pela gola do paletó
à porta do templo
e me pedem que aguarde
até que a Democracia
se digne a aparecer no balcão.
Mas eu sei,
porque não estou amedrontado
a ponto de cegar, que ela tem uma espada
a lhe espetar as costelas
e o riso que nos mostra
é uma tênue cortina
lançada sobre os arsenais.

Vamos ao campo
e não os vemos ao nosso lado,
no plantio.
Mas ao tempo da colheita
lá estão
e acabam por nos roubar
até o último grão de trigo.
Dizem-nos que de nós emana o poder
mas sempre o temos contra nós.
Dizem-nos que é preciso
defender nossos lares
mas se nos rebelamos contra a opressão
é sobre nós que marcham os soldados.

E por temor eu me calo,
por temor aceito a condição
de falso democrata
e rotulo meus gestos
com a palavra liberdade,
procurando, num sorriso,
esconder minha dor
diante de meus superiores.
Mas dentro de mim,
com a potência de um milhão de vozes,
o coração grita - MENTIRA!
 

Nota do editor:  em negrito, o "fragmento" que corre o mundo, belíssimo, desse poema de Eduardo Alves da Costa. Acima, o poema inteiro.

terça-feira, 28 de abril de 2015

NO INÍCIO

 No princípio era tudo azul, e tudo estava um caos; depois veio a cor vermelha, e o abismo se enlargueceu mais ainda, e o caos tornou-se maior, pois a corrupção pairou por cima de tudo, e nada foi como era antes.

domingo, 26 de abril de 2015

DOSTOIEVSKI PARA SEMPRE


Dostoievsk (nasceu em 11 de novembro de 1821, em São Petersburgo, Rússia)  foi,  e  é um dos maiores escritores que já existiu. Tem grandes obras, como os grandes romances Os Irmãos Karamazov, Crime e Castigo, O jogador, Gente Pobre, entre outros grandes livros, tão lidos e recomendados por todos os que gostam de uma boa literatura. Fiodor Dostoievsk não é fácil de ser entendido, e suas obras precisam ser lidas várias vezes. Segundo os entendidos em sua obra, ela teve muito de sua vida pessoal, como sua doença, pois ele sofria de eplepsia, uma doença que foi até tema em um de seus romances. Seu pai era autoritário e muito avarento, o que contribuiu para seu assassinato, o que deixou forte impressão na  vida do escritor. Perdeu sua mãe cedo, o que agravou mais ainda sua tristeza.
Em sua obra, podem ser vistas muitas influências dos evangelhos, tanto na dele quanto na de Tolstói, outro escritor que praticamente pregou a Bíblia em seus romances. Dostoievski era da igreja protestante. Quando foi banido para fazer trabalhos forçados na Sibéria, entrou em contato com muitos católicos, e viu que esses discriminavam seus irmãos protestantes, o que fez com que esse escritor se afastasse daqueles.
Sua obra é mesmo vasta, e todos os seus romances e contos são de grande reflexão, que tem como temática a luta entre o bem e o mal, Deus e o o diabo, conflitos familiares, entre outros. As obras dele foram pouco traduzidas no Brasil, o que dificulta bastante sua difusão, e as traduções, em sua maior  parte,  do francês, o que empobrece  muito a compreensão e qualidade da obra, e da mensagem dela.
O professor americano, Joseph Frank, que estudou a biografia de Dostoievski e a escreveu em cinco volumes, é um dos maiores especialista desse escritor, teve essa biografia  lançada pela editora Edusp,  que são estas: Dostoievski I - As Sementes da Revolta; Dostoievski II - Os Anos de Provação; Dostoievski III - Os Efeitos da Libertação; Dostoievski IV-  Os Anos Milagrosos; Dostoievski V - O Manto do Profeta, que tem sido de grande proveito para quem aprecia literatura de qualidade. E esse escritor, que escreveu sobre os camponeses russos, um dos poucos que se aventurou nessa empreitada, talvez pelo fato de ter se identificado com eles, mais do que os outros escritores russos, como seu rival  León Tolstói, que nasceu em berço de ouro.
A obra de Dostoievski é tão importante, que influenciou profundamente Sartle, e hoje em  dia se diz que o Existencialismo não teria surgido sem a obra desse gênio russo. Daí se vê a importância desse escritor para hoje. Sua obra nunca vai envelhecer, será sempre atual, por mais que o tempo passe.Para conhecer bem a obra de Dostoievski, é preciso ter em mente que o Evangelho e as palavras de Cristo influenciaram bastante ela.
Abaixo, a bibliografia desse escritor:


BIBLIOGRAFIA DE DOSTOIÉVSKI

  1846 - Gente Pobre
  1846 - O Duplo
  1847 - A Senhoria
  1848 - Noites Brancas
  1849 - Nietotchka Niezvanova
  1859 - O Sonho do Tio
  1859 - A Aldeia de Stiepântchikov e Seus Habitantes
  1861 - Humilhados e Ofendidos
  1862 - Recordações da Casa dos Mortos
  1862 - Uma História Lamentável
  1863 - Notas de Inverno Sobre Impressões de Verão
  1864 - Memórias do Subsolo
  1865 - O Crocodilo
  1866 - Crime e Castigo
  1867 - O Jogador
  1869 - O Idiota
  1870 - O Eterno Marido
  1872 - Os Demônios
  1873 - Diário de Um Escritor
  1873 - Bóbok
  1875 - O Adolescente
  1876 - O Mujique Marei
  1876 - A Dócil
  1877 - Sonho de um Homem Ridículo
  1879 - Os Irmãos Karamasov


CONSEQUÊNCIAS DA MENTIRA DE PAULO PINOCCHIO


O vídeo está aí para provar o que afirmarei aqui. Uma promessa que não foi cumprida. Os mestres foram enganados, assim como um amante engana uma mulher, prometendo-lhe tudo, e não cumpre nada. Pinocchio está ativo ainda. Uma esperança fútil.
Por causa dessa promessas, muitos professores fizeram planos para o futuro, mas ficaram totalmente decepcionados.Um professor, amigo meu, pensando nos benefícios do aumento, planejou uma viagem a Paris, aproveitando um pacote que pesquisou na internet. Encontrou uma empresa que facilitava bastante. Teve tanta fé no aumento, que comprou o pacote. Chorou bastante, quando soube que fora enganado,como uma criança chora quando não é atendida. Outro, que paquerava uma colega sua, lindíssima por sinal, depois de várias tentativas de conseguir ela, terminou tendo dela uma chance por causa do aumento, prometendo dar a ela o que pudesse comprar com o salário, já que iria ganhar melhor do que muita gente por aí. Vejam que tudo isso foi devido à promessa do candidato que hoje é governador. Um professor municipal fez os cálculos, e planejou, com base nele, comprar uma casa pela Caixa Econômica, e ir pagando devagar, pois o aumento seria razoável para isso.Livraria o resto do dinheiro. Já um professor estadual, namorando uma menina de classe média, obteve, de sua futura sogra, permissão para entrar na casa dela, devido ao aumento, pois a sogra já o considerava classe média ascendente; para chegar a ser classe média alta, só bastava esse aumento prometido por Paulo Pinócchio. Qual foi sua decepção quando chegou à casa de sua namorada, e a sogra, antes convidativa, mal falou com ele, não permitindo mais que o mesmo entrasse em casa da namorada. Decepcionado, hoje ele está trabalhando numa loja no centro de Recife, ganhando um salário e meio, fora as gratificações, e rasgou todos os livros que tinha. O caso mais grave, em minha opinião, foi de um professor que, após a promessa de Paulo, planejou fazer os quinze anos da filha, mas que agora não fala mais nisso.Ele ficou muito decepcionado, e sua filha entrou em depressão. Iria vestir um vestido bem original, feito de garrafas pet e cheio de leds, bem coloridas, e que também mudava de cor, devido à nano tecnologia. Que casos tão tristes! Vejam como Paulo prejudicou esses pobres professores.Coitados.
E eu, estou com uma difícil missão: preciso falar com outro amigo meu que, decepcionado com o governo, quer entrar nas Farcs, deixando mulher e filhos e indo agora para a Colômbia. Preciso ir logo antes que ele chegue ao aeroporto, em Recife. Chau.

sábado, 25 de abril de 2015

RESPOSTA DE DILMA À MINHA CARTA

 Escrevi uma carta à presidente Dilma, e ela me respondeu.Fiquei tão feliz que reproduzo aqui seu conteúdo:


Presidência da República, abril de 2015


Prezado Leonam Leonardo, gostei muito de sua carta. Obrigado por se lembrar de sua presidenta.Eu, como líderança máxima desse país, adoro essa interatividade entre o presidente e o cidadão.É assim que deve ser o governante, sempre atencioso com os governados.Eu recebo milhares de cartas todos os meses, mas respondo a todas, apesar do número grande delas.
Desde que você me escreveu sua carta, citando a UFRPE,fiquei curiosa com o que você me disse, e dos debates que há nela, nas suas comunidades; fiquei muito admirada com os estudantes daí. Pelo que vi, são bastantes politizados. Esses estudantes são bastantes inteligentes;isso é bom, e espero que eles aprendam também a ouvir e respeitar a opinião alheia.Vi que há essa dificuldade aí.É verdade também que eu sou maioria nessa comunidade, pois meus partidários daí me defendem com ardor.Eles dariam suas vidas por mim, pois me veem como uma pessoa que coloca em prática os bons ensinamentos de nosso líder máximo, Marx. Fico feliz em saber disso, caro Leonam. Não vou dizer que concordo com tudo o que você escreveu sobre mim, mas acredito que você não faz por mal, é o seu jeito, sua forma de pensar.É natural que discordem mesmo, pois sou adorada por esses rurenses. Fiquei sabendo que muitos professores são meus fãs, seguem-me ardentemente. Graças a Deus que Pernambuco nunca me abandonou.
Você disse, Leonam, que quando fala de mim, não é porque me odeia, só discorda, é isso mesmo? Se for verdade, como presidenta que sou, agradeço sua sinceridade, pois você é um homem corajoso (gostaria de ter homens assim trabalhando comigo) pois expressa o que pensa sem ligar para o que digam. Parabéns.
Numa coisa discordo de você, Leonam: Temer não governa o Brasil, mas eu, que fui eleita, eu, que dou as rédeas,pois o cargo de vice é apenas de enfeite, não serve para nada. Eu não iria trair meus eleitores dessa forma jamais. Se é assim que você pensa, mude esse seu modo de ver as coisas,pois é uma maneira distorcida de olhar.
Mesmo discordando de algumas ideias suas, quero dizer que não concordo quando excluem alguns posts seus e de outros, apenas por não ser politicamente correto. Nada a ver. Digam aos administradores da comunidade que não façam mais isso, pois é antidemocrático. Eu sou uma presidenta que defendo as opiniões de meus inimigos, mesmo que sejam contra mim, pois é um direito constitucional. Essa é a beleza do Socialismo, essa liberdade que dá aos que discordam dele. O Socialismo, Leonam, é liberdade. No meu governo muitas pessoas foram libertas da opressão da pobreza e miséria.No Brasil, ninguém mais morre de forme. Vejam quantas milhares de pessoas estão abrigadas agora, morando numa casa confortável, tiradas do caos e da lama. Ninguém, meu caro Leonam, pode mudar isso, e dizer que é tudo mentira. Eu não quero me demorar mais escrevendo, pois tenho uma reunião com Temer agora. Continue escrevendo para mim, e escreva sempre na comunidade da Rural, não ligue para esses despeitados daí, você é forte, é guerreiro. Se precisar de ajuda, disponibilizo para você os serviços da ABIN e da PF, se precisar. Dê lembranças minhas à Maria José, reitora dessa universidade, amiga minha. Depois da presidência, irei visitar informalmente esse estado, e passarei uns dias na casa dela.

Sem mais, de sua presidenta


Dilma Roussef

quarta-feira, 22 de abril de 2015

QUEM ÉS TU?

 O que vejo faz-me ter suspeita:
Esquerdizou-se a Direita
Ou endireitou-se a esquerda?

Ideologias de retalho
Que queima como alho
Densas como areia;
Endireitou-se a Esquerda
Ou esquerdizou-se a Direita?

O que vejo
são discursos
Incoesos
Que não enchem minha mesa.
Mas endireitou-se a esquerda
Ou esquerdizou-se a Direita?

segunda-feira, 20 de abril de 2015

O PROFESSOR E O HERÓI


Minha homenagem aos heróis de verdade

A lida é difícil
A construção do saber
Fá-los ter
Muito compromisso
E essa jornada neles dói
Pois é cheia de dissabores;
Me diz se não são heróis, 

Esses professores!


O piso é uma pisa
Que levam
E escraviza
por isso anelam
A derrota dos que lhes corrói
E dissemina seus terrores.
Me diz se não heróis,
Esses professores!


Cada um tem sua ideologia,
E seu caminho segue
Pela vida;
O punho se ergue
E Ela brilha qual muitos sóis,
Diminuindo suas dores;
Me diz se não são heróis,
Esses professores!


Eles levam a luz,
E o que ela produz
Desamarra
E tira o capuz,
E desata todos os nós
É um murro nos exatores;
Me diz se não são heróis,
Esses professores!


Mas esse proceder
Fá-los ter
Inimigos no próprio Sistema;
Mas que dilema,
Que às vezes enfrentam sós!
Cadê os intercessores?
Me diz se não são heróis
Esses professores!


Tu és um sistema covarde
Que crias muitas miragens
E, quando feres, explodes de gozo,
Deixando marcas no peito em fogo.
Mas um dia tirarão teus lençóis
E sorverás teus clamores;
Então verás que são mais que heróis,
Esses professores!

CLASSIFICADOS

Alunos procuram professores,de diversas áreas,Humanas e Exatas, que ofereçam bolsas de estudos, afim de poderem continuar com seus cursos na na universidade, e progredirem intelectualmente.Esses alunos são oriundos de escolas públicas, entraram via ENEM e são negros.Os professores que tiverem coragem, e estão cansados de só trabalharem com alunos de classe média, brancos, enviem email para alunos-a-lunos@blackmail.com.Os alunos serão muito agradecidos.

domingo, 19 de abril de 2015

O DIRETOR VERMELHO E ALUNO INCOLOR


Um aluno e um diretor de uma escola foram lanchar no refeitório de lá. De repente, o diretor, marxista ferrenho, disse a esse aluno, bolsista, pobre,negro, e um dos melhores alunos dessa escola, para quem ganhou vários prêmios, na área de Matemática, mas que, por ser racista, esse professor não gostava do aluno em questão: "não gostei do que escreveu sobre Marx, rapaz." "Quem, eu?", respondeu o aluno. "Você mesmo", disse o diretor. "Mas não sei direito sobre ele, comecei a estudar sobre ele agora, nesse ano." "Então foi seu pai, num jornal aqui da escola, quando ele estudava.Sei que li isso." "Meu pai não estudou nessa escola, mas em escola pública." "Foi seu irmão, é sua cara." "Sou filho único," replicou o aluno." Não sei, não gostei e pronto." Depois do lanche, o diretor foi ao seu escritório, preparou uns papéis e expulsou o aluno da escola.


MORAL DA ESTÓRIA: MARX É UM MONSTRO

sábado, 18 de abril de 2015

MEU PESADELO

 Essa noite tive um pesadelo horrível. Fiquei com medo dele. Sonhei que o STF obrigava as universidades públicas a aceitarem ser administradas por ongs e OS's.Foi uma coisa muito feia esse sonho. Depois de ouvirem essa notícia, ninguém fazia nada, os reitores aceitaram numa boa tudo.Não fizeram protestos, não marcaram passeatas, era como se eles se tornassem bois ou ovelhas de verdade, indo para o matadouro;muitos dos professores tinham cara de ovelhas dementes; tive a impressão que alguns deles estavam com bocas e patas amarradas. Parecia tão real. Alguns até mugiam ou berravam, mas era um berro tão chocho, tão fraquinho...
Mas, de repente, surgiu no meio daquelas ovelhas, uma ovelha verde;ela conversava muito com as outras. Muitas delas começaram berrar alto, e os berros foram se alastrando no Brasil todo.Tornou-se um berro tão ensurdecedor que os que fizeram a lei, ficaram tremendo de medo, até que tudo voltou ao normal.Acordei com o coração batendo acelerado. Tinha sido só um pesadelo.Ainda bem.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

EI, CARA!

Tenha esperança, cara; você precisa lutar.O que seria da vida, sem luta?Lute, tenha esperança, cara. Ela continua. Vá em frente, e não pense outra coisa. Tenha esperança, ela é o alimento para a alma, e motiva a gente, dá uma razão para viver, até que nos leve à Esperança maior.Tenha esperança, cara, e não deixe ninguém tirar suas convicções de você.Mesmo que tudo pareça um mero vazio, mesmo que sua vida não tenha sido tão bem vivida assim, pense que você viveu e vive, cara.Tenha esperança, e ela vai fazê-lo viver tudo que sempre quis um dia. Você pode não ter vivido tudo que queria, ou sonhou tantas vezes, mas continue tendo esperança.
Que posso eu mais dizer-te, cara? Tenha esperança uma vez mais, viva uma vez mais, creia uma vez mais. Se você se entrega agora ao fracasso, que esperança levará para os outros? Que aprendizado levará da vida, quando você chegar diante da Esperança Maior?
Tua esperança terá o peso de uma pena, e será forte como o titânio; te fará flutuar, e fincará bem teus pés na vida. Tenha esperança, cara.

STF ACABA COM AS UNIVERSIDADES

 Absurdo isso;uma das decisões mais arbitrárias e sem vergonha que o STF fez, acabando de prostituir o ensino federal de boa qualidade, de bons professores, a maioria mestres e doutores, para entregar o ensino para entidades sociais, e quem garante que eles serão qualificados? Imaginem as ONGs administrando nossas universidades, ganhando esse direito apenas por uma mera indicação. Será que devemos nos submeter a isso? Que obrigação temos de obedecer uma coisa que está tirando o direito de nossos filhos de terem um ensino de qualidade?Essa decisão do STF é insana. Essa lei é injusta e opressora.
vai ser o oba-oba do ensino sem qualidade.Ao invés de termos ensino bom, teremos ensino de todo jeito.Qualquer um vai poder ensinar nas nossas universidades, basta aceitar o salário que querem pagar;se eles não vão conseguir essa vaga por qualificação através do preparo que tiverem, vão conseguir como?Os professores vão aceitar isso de bom grado?Acham normal isso que está acontecendo? Penso que deveriam se mobilizar. Privatizem logo o Brasil. O STF DEVERIA SE ENVERGONHAR DISSO.
Adeus, ensino bom e de qualidade! Adeus, oportunidade para os mais necessitados entrarem numa universidade de qualidade. A quem, realmente, interessa fazer isso?Quem irá lucrar com tudo isso? Absurdo. O direito é só uma questão de ponto de vista deles. É como eles veem. O que há de positivo nisso?Desde que o Direito Natural começou a ser distorcido pelo Direito Positivo, que tudo se tornou relativo.É só uma questão de poder;mascaram a justiça, e parece até que ela foi feita. Não sei se os professores da UFRPE, e UFPE vão gostar disso, mas eu, como aluno, achei um estupro essa decisão do STF, digno dos maiores caudilhos que a História fala. Acho que o STF é que governa o Brasil. Desculpem-me a ignorância, se estou equivocado.
O que nós, como estudantes, professores, funcionários, das universidades públicas, podemos fazer? Precisamos mesmo aceitar isso?Quando a lei é relativizada, ela perde muito de sua essência;vira apenas mais um monte de barro, moldado de acordo com a vontade de determinados segmentos. Que faremos então?VAMOS OBEDECER, COMO OVELHAS INDO PARA O MATADOURO?

quinta-feira, 16 de abril de 2015

A FUGA DA PRESIDENTA


Ela já não aguentava mais tanta pressão nas últimas semanas. Os protestos em todo o Brasil a fizera sofrer como nunca. Até em depressão ela parecia entrar. “O que vai ser de mim”, pensou a presidenta, ao ver sua popularidade cada vez mais descer. “Onde errei? Eu tenho seguido até agora as teorias socialistas que tanto li em minha juventude, e até hoje leio. Tenho fomentado as lutas de classes, como planejara Marx. Onde errei?Onde?”
Um pensamento rondava a presidenta nas últimas semanas. Ela já não mandava no Brasil, pois Michel Temer, um bom articulador político, estava fazendo um ótimo trabalho junto à Assembleia Legislativa. O PT agora é só uma sombra do que foi, quando formado. Seu vermelho está tão pálido quanto um couro velho de sapato usado. Já era. A corrupção o tem corruído como um ácido. Dilma se sentia só, mesmo rodeada de ministros, secretários, tanta gente. Seu poder saiu de suas mãos. Lula estava internado numa clínica para alcoólatras. Pensara na proposta do presidente da Bulgária para residir nesse país de origem. Seu pai, Pètar Russev, viera de lá há muitos anos e morou por muito tempo no Brasil. Ela jamais pensara em ir para lá, mas, nos últimos meses, essa ideia tornou-se um bom atrativo para a presidente. “Já é hora mesmo de deixar essa balbúrdia toda”, pensou Dilma. Aceitaria o plano do presidente da Bulgária, afinal de contas, ela também possuía a cidadania búlgara.
O plano já estava certo. Na noite anterior, de madrugada, ela havia falado com o Cônsul da Bulgária, Ruchov Todorov, e acertado tudo. Não confiava mais em ninguém. A ABIN já estava bichada. Temer já havia comprado a confiança de seu diretor, prometendo-lhe reformas importantes e outros privilégios, como mais verbas e mais liberdade, que nem sempre é conseguida dentro da lei. Sentia-se vigiada todo o tempo. Já não era seguro ficar no Brasil devido às convulsões sociais. A guerra era eminente. Tropas fiéis tanto à presidente, quanto a Michel Temer, já haviam travado umas batalhas. Os palácios do governador do Rio de Janeiro e São Paulo foram atacados; já anunciava-se a separação entre o Sul e o Nordeste. Os quarteis estavam sublevados, divididos entre seguir Temer ou dar outro golpe; para isso, era necessário mudar a Constituição. Todos esses pensamentos passaram rápido pela mente da presidenta. Não havia jeito mesmo. Temia pela sua vida, já não governava o Brasil desde que o assumira, pois seu vice minava o governo. É um homem muito temido, tendo apoio de várias transnacionais, que investiram dinheiro, não para o PT, mas, sim, visando o PMDB. Agora entendia tudo. Desde o início que seus aliados tramaram sua queda, mesmo tendo total apoio do povo, dos mais pobres, principalmente do Nordeste. A Direita não queria, mas uma vez, perder o poder; não de novo. Os roubos da Petrobrás foram golpes de mestre. Tanta corrupção descoberta só podia dar nisso, tirar o poder dela, mesmo sendo seus aliados, que comiam das fatias que o seu partido comia; o que era aquilo diante do que Temer e seus aliados iriam ganhar? Incontáveis bilhões de dólares. Temer já arrendara a amazônia a algumas empresas nas áreas de cosméticos e alimentos, fora as que iriam explorar as riquezas minerais.
Dilma não via a hora de sair do Brasil. A Bulgária é sua verdadeira patria. Vivera uma ilusão, fora usada por interesses sórdidos, abrindo o Brasil à ganancia de grupos estrangeiros, por detrás dos panos, e, agora, precisava fugir, afim de salvar sua vida. O povo fora usado, os manifestantes também. E essa TV maldita, que ha tanto tempo traía o Brasil? Não tinha forças para cancelar a concessão dela; havia poderes por detrás disso tudo. Essa TV fazia um belo trabalho idiotizando a população, fazendo-a engolir sua maldita imoralidade, tirando do povo a noção do ridículo, fazendo-os agir como verdadeiros imbecis. Ia fugir do Brasil.
O presidente da Bulgária, Kruschev Dodorov, já havia mandado dois caças para escoltar Dilma até a Europa. Tudo que precisava fazer era dirigir-se até o Uruguai, onde embarcaria no avião particular do presidente europeu. Seria a co-piloto, mas estaria vestida de homem, disfarçada, o que não seria difícil para ela. Seu rosto másculo lhe permitia isso. Seria difícil se livrar dos agentes da ABIN. Temer deu ordens para que, se possível, fizesse um trabalho bem feito, mas que não a deixasse sair do Brasil. Até parecia que ele ouvira a conversa dela na linha privada. O que a ABIN não conseguia fazer? Ela já havia usado as mesmas estratégias contra seu vice, quando mandava no Brasil. Ou será que ela nunca havia mandado no seu país? Sua dúvida era cruel. Estava confusa. Será que foi mesmo eleita pelo povo?
Da Bulgária, Kruschev dava instruções a seus agentes. Não queria que nada ocorresse com sua prima. Que tivesse bastante cuidado, e não deixassem provas da visita deles por lá. O presidente do Uruguai era um forte aliado seu na América Latina, além do mais, era aliado de Dilma; ou melhor, fora, enquanto a mesma se iludira, acreditando que governava o Brasil. Como fora ingênua!
Já embarcara num avião particular de um amigo seu da aeronáutica, um brigadeiro, que a conhecia dos tempos de escola; nunca perdera o contato com ele, mesmo como presidenta do Brasil. Seus guarda-costas conheciam todo o procedimento, e como agiam os agentes da ABIN. Livraram-se deles. Era 1:00 da madrugada quando a presidenta chegou no Uruguay. Fora recebida por uma comitiva seleta: o presidente do Uruguay e alguns ministros mais chegados, cerca de quatro, que não eram dos partidos coligados que o ajudaram a chegar ao poder. Dilma, sem perder tempo, embarcou no avião de seu primo, O presidente da Bulgária. Em sua bagagem estavam documentos e arquivos importantes, que iriam mostrar ao mundo toda as nojeiras cometidas no Brasil. Iria mostrar tudo, desde assassinatos de políticos, empresários, até conspirações internacionais. Esses documentos não tinham preço. Claro que não iria entregá-los assim. Sua moeda de troca. A ONU ficaria feliz em ter eles em suas mãos.
Algumas horas depois, Dilma chega à Bulgária. Seu primo, sorridente, com uma bela comitiva, a esperava num lugar reservado do aeroporto, que estava cercado por agentes do governo e sua polícia federal. Em sua bagagem, a presidenta levava outras coisas: quinhentas músicas da MPB, em seu tablet, camisas da seleção brasileira, todas autografadas pela seleção dos sete, um álbum de receitas da cozinha mineira, e três revistas da Playboy. Seus bens já havia sido vendidos alguns meses antes, e depositados numa conta suíça. Nada no Brasil a prendia mais lá. Era o o melhor a ser feito.
No outro dia, havia uma entrevista coletiva a ser feita; ela iria dizer ao mundo tudo o que ocorrera. Temer temia isso. Mas ele também havia preparado seu dossiê.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Paz No vale







Que canção linda.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

O DIA EM QUE A RURAL PAROU


 
Certo dia, a Rural ficou vazia,por um motivo que ninguém soube explicar; e ninguém foi para lá, estudar ou trabalhar. De verdade, nesse dia ninguém foi para a Rural. Ninguém.
A reitora não saiu para para trabalhar, pois sabia que os funcionários não estariam lá; o vice-reitor não saiu para ajudar a reitora, pois sabia que ela não estaria lá; os funcionários da Projest não saíram para trabalhar, pois sabiam que seus colegas também não estariam lá; ninguém da contabilidade foi trabalhar, pois todos sabiam, de alguma forma, que, naquele dia, eles não precisariam trabalhar; os departamentos dos cursos, as coordenadorias deles, nenhum deles abriram, pois sabiam que não precisariam trabalhar naquele dia. Um professor de História, foi levantar da cama, e, de repente, parou, olhou para o tempo, e dormiu de novo.Dentro dele, algo dizia que ele, naquele dia, não precisaria trabalhar; uma professora de Física Nuclear, às 23h do dia anterior, lembrou-se que teria de trabalhar cedo num projeto, estancou de repente, e sentiu que não precisaria trabalhar naquele dia, e ficou até de madrugada no Face, e depois assistiu um filme antigo, na Sky. Um professor de Ciências Sociais, ainda tomou café, e ia se dirigir até seu carro, mas uma força fez com que ele sentasse na cadeira e fosse assistir filme no Youtube. Os estudantes, todos de uma vez só, de repente, na mesma hora em que se vestiam para as primeiras aulas da manhã, tiveram desejos diferentes: uns foram para o bate-papo na Uol e no Instragram; outros, foram para a praia; alguns ficaram nas piscinas de seus prédios, ou foram para dormir de novo, ou foram para os shoppings, mas nenhum deles foi para a Rural, pois sabiam que os professores, coordenadores, não estariam lá também. Os funcionários da limpeza, todos de uma vez só, souberam que não precisariam trabalhar nesse dia, e foram fazer o que mais gostavam até de madrugada. Os vendedores das lanchonetes não abriram o comeŕcio nesse dia, pois sabiam que nenhum estudante iria para as aulas, e eles, precisando de uma folga, pensaram de uma só vez, que não valeria a pena ir abrir seus comercios, sem que vissem os estudantes por lá. Os guardas dos portões, o RU, ninguém mesmo, foi para a Rural.Ela ficou vazia, como se não funcionasse ali uma universidade pública. O mais curioso é que ninguém ligou para perguntar nada, as pessoas que passavam lá fora não estranharam nada. Era tudo normal para eles.
No outro dia a Rural abriu e funcionou normalmente. Ninguém perguntou nada, se lembrou de nada; não parecia que, no dia anterior, nada nela funcionou. Ninguém perdeu dinheiro por isso, não foi descontado no salaŕio, nem sequer foi registrado nada sobre esse dia. Foi um dia perdido na Rural. Nunca mais isso ocorreu de novo.


Por J. Mou

domingo, 12 de abril de 2015

A PRESUNÇÃO DE ED MOTA

 Foi absurdo o que disse Ed Mota, recentemente. Desprezou o Brasil, sua identidade, seus parentes, seus pais, sua origem. Sem lógica alguma seus argumentos.
Tudo começa por ele mesmo, que é feio, ( por isso que despreza sua identidade, não por outro motivo) ao contrário do seu tio, que assumia sua identidade negra. Ele tem muito menos talento de Tim Maia ,mas é muito presunçoso.
Ele me faz lembrar de dois personagens históricos: o rei de Tiro e o rei do Império Neo-babilônico, Nabucodonosor, conhecidos por sua presunção. No capítulo de Ezequiel, o profeta descreve de modo bastante detalhista sobre sua presunção por causa do comercio que os fenícios mantinham com todos os povos de sua época, praticamente.
Não entendo como alguém despreza sua própria pátria assim, e seu povo também, como se ele fosse uma grande estrela; e mesmo se fosse, não teria esse direito. Se ele despreza assim o Brasil, ele é um apátrida então. Está negando a ele mesmo, e tudo que o ele é. É um desprezível.
Ele agiu como se toda a cultura do Brasil não valesse nada, toda a sabedoria desse povo, tudo que nós somos, nada valesse, mas mostra os estrangeiros como se fossem melhores que o Brasil. Além do mais, teve o absurdo de dizer que os brasileiros que fossem para esse seus shows se comportassem bem, e não falassem português. Ele não sabe nem o que é. Não merece que ninguém vá a seu show, pelo menos os brasileiros.Que ele fique por lá mesmo, não representa o Brasil mesmo. Aqui ele já está marcado. Pobre Ed.
Nas redes sociais, os protestos são muitos e furiosos, contra essa figura, que não sabe o que é humildade, que despreza-se desse jeito. Sua queda é iminente, então, já que o orgulho e a presunção é o começo da queda de um homem.E por desprezar o Brasil, ele já começou a cair.
Imagine se esse cantor tivesse um terço do talento de seu tio, Tim Maia, que tem tantas músicas bonitas? Quase todas, praticamente.
Ed Mota é, atualmente, um grande exemplo de orgulho e preconceito contra o povo simples brasileiro, contra pessoas que podem gostar de suas músicas. É por isso que é melhor, para ele, ficar na Europa, se torne um cidadão francês ou alemão. Não merece mais o Brasil. Ele morreu para nós, e nós, para ele.

BARRIL


O Brasil,
Penso,
É como
Um barril
cuja pólvora caiu
Nos corações propensos.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

TENHA SUCESSO NA VIDA: EMBRANQUEÇA A PELE



Todo mundo já sabe disso; os mais cínicos dizem que é impressão dos negros, mas os melhores empregos, as melhores vagas nas faculdades, são dos brancos. O Brasil pertence a eles.
Só é procurar nos empregos públicos, nos cartórios,nas empresas particulares, todos são brancos, ou pelo menos acham que são. Minha sobrinha parece uma irlandesa, mas é negra, pois é filha de negro. Mas a pele abre caminhos que, muitas vezes, não se pode ter se tivesse uma pele mais escura. Os caminhos se fecham mesmo. Tantos brancos sem talento algum trabalhando por causa desse detalhe.
Mesmo nas universidades públicas, após o ENEM, ainda ficam abismado quando veem um negro no RU, por exemplo, ou em outras dependências do predio no campus. Quando algum branco vai andando pelas dependências da Rural (UFRPE) e do lado oposto veem um negro, ou seguram a bolsa, ou apressam o passo, trocando de caminho. Pela mente de semente de mostarda deles, o que importa é a pele; a pele define a personalidade, o bairro, o emprego, o caráter, a inteligência...
Na verdade, o que vivenciamos no Brasil, é um apartheid, queiramos ou não admitir. Podemos fazer como o avestruz, e esconder a cabeça num buraco, para não ver a realidade. Recentemente, fizeram uma exposição de fotos na UNB, onde alguns negros seguraram cartazes com frases racistas do tipo "voce penteia o cabelo?"; "para uma negra, voce é muito
bonita"; "minha empregada é negra, e todos adoram ela." Esta última é fofa. E por aí vai.
Mais da metade da população brasileira é negra, mas tem muito pouco,das rendas, cinicamente mal distribuídas; usufruem de quase nada,recebem os menores salários, aparecem bem pouco na tv.
Quando um branco olha para uma mulher negra, apenas a vê como um depósito a mais de suas sementes. Vide como são vistas as empregadas domésticas negras, mulatas, etc. As bonitas iniciam a burguesada donzela, com o cuidado de não engravidar, para não misturas as sementes.
Todos os negros são esculhambados todas as vezes que chegam a um órgão público, empresas, e não veem nem se quer um mestiço;tem que ter a pele branca, mesmo que haja alguns traços mestiços bem claros neles.Um vizinho meu, negro, pegou vitiligo, ficou claro, e todos passaram a tratar ele de modo mais gentil. Tudo mudou depois que sua pele "embranqueceu". Isso é fato. Neguem quem quiser. Fique numa fila de ônibus, e observem quando estão entrando, e vejam se as pessoas não seguram suas bolsas quando é um negro que está entrando com elas, atrás. Se for um branco, soltam a bolsa, ainda mais se parecer um "gato".
E, infelizmente, no Brasil, negros são "maus", brancos, "bons". Os empregos são deles, as universidades, até bem pouco tempo, só eram deles. Mudou um pouco. A elite branca deveria indenizar os negros por tudo que tiraram deles, por toda a discriminação, preconceito, e todas as perdas. É isso.