sexta-feira, 28 de novembro de 2014

EXPECTAMENTE NA VIDA BONITA

Eu chego lá e fico sentado, olhando as pessoas passeando, numa tarde de sol, meio frio e aconchegante.
O campo, cheio de gente brincando, passeando, alguns sentados à beira dele, conversando e se alegrando. Uma criança de uns 6 anos,  brinca com sua mãe; perto deles, dois meninos, maiores, jogam bola, chutando por entre as barras. Fico então olhando as meninas fazendo cooper,nos seus trejeitos leves, seus andares soltos, charmosos, ligeiras (gosto desse jeito delas), com suas roupas de cotton bem delineadas no corpo.  Logo atrás, alguns caras a seguem, conversando sobre assuntos da vida, creio. Eu fico só observando a vida girando em meu torno. Logo atrás está o auditório, onde se formam os estudantes, depois de vários anos queimando  as pestanas.
A tarde está tão gostosa, alegre, e eu aproveito para escutar seus sussurros: "vês como a vida é linda, observas a vida solta pelas  ruas, oferecendo seus banquetes abundantes; toma tua parte e aproveita". Então eu penso em tudo que passei, e todas as minhas perdas, tudo que vivi durante o ano. O pensamento que me vem à mente é: a vida é bonita, apesar das intepéries. Um presente que não se mede.Isso é lindo.Graças ao Criador.
Bem de frente, os carros passam na pista, e as matas da Rural se põem à minha frente, viçosas e lindas, próximo ao prédio de veterinária, massa.
Gosto da tarde; ela é muito prazerosa, principalmente naquele campo da Rural.
Ficar ali é observar a vida brincando, é sentir a brisa bem suave ao redor. Quando vai anoitecendo, não fica menos prazeroso. Até certas horas da noite, as pessoas continuam lá, ora brincando, ora andando de bicicleta, mas ficam curtindo o ambiente.  Até as crianças que moram perto veem e curtem o ambiente.Que academia que nada! O negócio é fazer física ao ar livre, ouvindo canto dos pássaros e conversando com os amigos. Dezenas de pessoas vão todos os dias lá e curtem, de alguma forma, essa  natureza Rural.
Toda vez que fico lá, me convenço de que não vale a pena reclamar, mas agradecer a Deus por tudo. E olhem que essa beleza é só uma parte das inúmeras que conhecemos. A vida, como diz o poeta,"e bonita, é bonita, e é bonita"!



segunda-feira, 24 de novembro de 2014

MORTE E VIDA CAPIBARIBE



Nesse domingo  foi celebrado o Rio Capibaribe, o rio que banha Recife, dando, por isso, a essa cidade, o nome de "Veneza Brasileira", por causa das suas águas, que cortam-na.
Celebrado nas letras de João Cabral, ele se tornou o "Cão sem Plumas", numa metáfora fenomenal do poeta. Outros poetas pernambucanos como o poeta da cidade de Taquaritinga do Norte, Roberto Celestino, fez um poema em sua homenagem. Diz sua letra:

 Bem na Vila do Araçá
Município de Poção,
Serra do Jacarará
Pra banhar a região,
Vai se ver nascer um rio
Que terá mil desafios
Pra cumprir sua missão.

Mas  o que se vê é que não há nada para comemorar nessa data, já que o rio está tão poluído em todo o seu percurso, principalmente nas cidades, onde  habita o povo chamado civilizado. Se fossem mesmo civilizados, não poluiriam o rio, fonte de vida em todo lugar que passa, fundando cidades e vilas, dando peixes os mais diversos, criando até movimentos, como  o de Chico Science, o 'Mangue Beat'. Esse rio tem sido desrespeitado de um modo terrível; não se pode continuar assim. O governo do estado, através da lei 14.011, de 2010, que procura influenciar a populaçao para que se respeitem suas águas, tem tentando, com a ajuda do PAC, revitalizá-lo. Triste do país que precisa de leis para fomentar o respeito à natureza, algo fundamental para a manutenção da vida. Não precisava de leis para isso.É algo imprescindível.
Existe até planos para tornar esse rio navegável na Região Metropolitana. Talvez seja uma boa ideia. Os prédios que foram construídos às margens de suas águas são, talvez, os que mais poluem, mais até do que a população pobre dos morros. É por que a ideia que a mídia passa é que só os pobres poluem, mas a classe abastada polue muito mais, o tempo todo. E todos esses deveriam pagar altas taxas por isso, por causa de seus esgostos.
Para que a comemoração do rio Capibaribe seja efetiva, é preciso conscientização para que a poluição cesse de vez.


por J. Lou

domingo, 23 de novembro de 2014

O ESTIGMA DE UMA COR


Aquilo foi um absurdo, fruto de uma mente ainda cheia de preconceitos e sem respeito algum pelo seu semelhante. Depois de cem anos,ainda, na mente de muitos brasileiros permanece a ideia de que o negro é inferior, e a pele é quem define o caráter, a personalidade e tudo o mais de uma pessoa.
Um empresário de Rondônia foi buscar alguns aitianos para trabalhar, e mediu eles de cima abaixo, como se fossem escravos. Inadmissível isso. O MP de Rodônia entrou em ação e está agindo contra isso.O  que se espera que se faça para que haja respeito pelos negros no Brasil, se somos 53% da população, mesmo assim sempre fazemos um papel menor, segundo canta o cantor de reggae Edson Gomes, banido das rádios por causa de suas letras  e críticas ao sistema, e defender a cultura negra?
Por mais bonito que seja o negro, por mais bem vestido que esteja, só veem nele a cor, a escravidão, o ser inferior. Pode ser um advogado que esteja ali diante de um branco, um policial, um empresário, mas o que muitos veem é a pele, a escravidão, tudo que seja inferior. Não acham que somos inteligentes, que temos o mesmo direito que eles. O referencial de beleza é  o branco. Aqui no Brasil somos invisíveis.
Até no cinema e na TV, o papel dos negros é sempre o de servos, escravos, ladrões, e todos são favelados. Na TV cultura há uma novela que passa aos sábados, de Angola,feita por pessoas negras, e as tramas são interessantes, em boa parte delas. É exceção. Há entrevistas, documentários, e uma vasta programação que enfatiza a cultura afro. Mas numa certa TV brasileira, líder de audiência, quando um personagem negro é o personagem principal da trama, é apenas uma caricatura mal feita. As mulheres negras dos seriados, são umas mulheres fáceis, vulgares e sem noção,verdaeiras cachorras no cio, nao sabendo nem se portar uma simples festa. É um desrespeito para com mais de metade da população brasileira. Não temos que aceitar isso, não temos que aceitar passivamente esse desrespeito, já está na hora de alguma coisa ser feita para mudar isso. Que direito tem essas pessoas de fazerem essas coisas e tratarem com tanto desrespeito todos os negros do Brasil?
A prova de que a discriminação é muito grande ainda, foi o fato desse empresário, depois de tudo que está sendo feito, e de tantas lutas a favor de uma democratização do saber, da renda, e ainda assistirmos cenas como aquelas, é um absurdo muito grande. É preciso continuar lutando até que não reste mais nada, não se pode aceitar nenhum resquiçio de discriminação, todas devem ser banidas.

sábado, 22 de novembro de 2014

CADÊ OS LADRÕES DE GALINHA?

 É, esse povo "tira onda" mesmo com o povo brasileiro. Por isso que fazem essas leis, para defenderem eles mesmos. Infelizmente é esse o Brasil no qual  vivemos. "A piscina está cheia de ratos, e as ideias não correspondem aos fatos".
Dirceu está no maior "drama", no maior "sofrimento", pois está preocupado em passar o natal com a família, e precisa também viajar. Um ladrão super perigoso tratado como um cidadão sem culpa. Seria culpado se roubasse um sabonete no supermercado, ou batesse o celular de alguem. Dez anos de cadeia, como ja ouvimos e vimos falar.
Todos os brasileiros estão  sendo feito de idiotas por essa elite perigosa e mafiosa. O ladrão de galinha, depois de levar um pau da população, ou o segurança do supermercado que bateu para valer no ladrão de perfume ou de Whisk, são peças estranhas nesse conjunto. O outro roubou milhões, e é tratado como estadista. Quem rouba whisk é tratado como criminoso de guerra. Daqui a pouco vão dar dinheiro a ele por tudo que "sofreu" na cadeia. Bichinho.
Sinto-me um babaca diante desses fatos; estou sendo esculhambado de idiota todo dia por essa mídia e esses ladrões, que sempre se saem bem de suas tramas. A prisão é mais um presente, e a consciência do povo, roubada. o Bom ladrão é o que rouba muito. O mal, o que rouba pouco. Desse modo, para ser elogiado e protegido, deve-se roubar muito dinheiro, quem  quer ser preso e ser usado como bucha de canhão, roube pouco. Essa é a lição. Além do mais, os advogados que o defendem são pagos também com dinheiro público.
Desse modo, a justiça no Brasil é feita. Cadê os ladrões de galinha? Soltem-nos! Que justiça é essa? O perigoso está viajando, e quer passar um natal feliz, pois "não fez nada".  Privilégio para roubar muito, e privilégio para pagar pouco pelo que fez.
É a justiça brasileira, chamando todos os brasileiros de idiotas e cegos. Balança quebrada. "A justiça anda cabaleando nas praças", diria Isaías. "Justiça" seja desfeita.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

VÁRIAS RAÇAS?

Aborrece-me a maioria dos comerciais na TV. Fico imaginando se por acaso não estou em algum país da Europa. Somos três raças, um coquetel cultural de negros, brancos, e índios.Mas na prática, o que somos mesmo?
Com certeza, Monteiro Lobato e Silvério iriam adorar esses comerciais, pois cultivavam a ideia da eugenia; pois todos os que fazem essas propagandas são modelos, pessoas brancas, cabelos lisos, típico dos europeus. Mas cadê o negro, o mulato, o cafuzo,as outras raças fora a branca (branca?).Ás vezes sinto-me desrespeitado como telespectador, pois se as empresas querem captar a atenção dos compradores, então deveriam ficar mais próximos deles, mas a maioria dos brasileiros não são representados ali, as donas de casa não se veem ali, os trabalhadores braçais não se veem, quase ninguém. AS mulheres dos comerciais de cerveja são todas magras, modelos, e têm todas a mesma idade. Parece-me que todos os comerciais são dirigidos aos burgueses, só eles compram, só eles vão à feira fazer algo.Esquecem até da classe  média, exaltada por Lula, e difamada por Chauí, formadas por pessoas negras.A nova Classe Média. Só jogadores negros têm dinheiro? Sinto-me excluído. Então é vergonhoso mostrar o negro na tela? Só mostram as mulatas e negras rebolando, mostrando sensualidade? Quando chamam negros para aparecer na TV é para sambar, como se essa dança definisse tudo que o negro é. Umas mulheres com umas cadeiras gigantescas na tela. Segundo Gilberto, eram os lanchinhos dos senhores de engenho;uma belez que era apreciada, mas não se pode mostrar a sua beleza e valorizá-la publicamente. É assim que as tratam ainda hoje. E nos comerciais? Nada deles,e nada delas; para as agências de propagandas é vergonhoso, ou não vai fazer o produto vender. As empresas que as contratam devem achar a mesma coisa. A supremacia branca.
Mas não é só o negro que não aparece, mas os asiáticos também pouco aparecem.O índio também não faz parte do Brasil. Cada índia linda por aí. Que colocassem alguma, mesmo que não fosse modelo. A beleza pertence só ao branco? Tantos negros e negras bonitas, índios e índias, principalmente, lindas, mulatos,mulatas, cafuzos. Só branco é inteligente, só ele compra, só ele sabe fazer comercial ou atrai a atenção do publico.
Claro que não quero que coloquem somente negros pra fazer os comerciais, mas que pusessem todos, que misturassem todos. O Brasil não é só branco, e aqui também não é a Europa, somos miscigenados. Mas na prática "somos brancos".
Não assisto mais esses comerciais, todas as vezes que o faço é como se eu não estivesse ali, nada é dirigido a mim, mas a pessoas de pele mais clara. Vou fazer o quê na frente da TV? Nada ali é pra mim mesmo. A regra é: preto, logo não existe. É o mundo dos brancos, é o país deles. Os negros somos invisíveis nos comerciais. Não compramos nada mesmo, não trabalhamos. vivemos mesmo é na sombra. Até quando?

E ZUMBI SE FEZ HERÓI

O dia da morte de Zumbi é comemorado nesse 20 de novembro. E os negros estão celebrizando aquele que lutou como um general de grande estratégia, contra os portugueses. Palmares, por muito tempo, ficou sendo algo anatemizado na história brasileira, que celebra heróis fictícios, como Tiradentes,leva recados dos ricos inconfidentes, que não morreu como disseram, nem tinha aqueles cabelo longos, nem a barba, fizeram-no assim para parecer com Cristo, o mártir da humanidade.
Zumbi é o mártir da raça negra, que rejeita o treze de maio, uma piada histórica; apenas serviu para mudar o tipo de escravidão, pois foram libertos mas não foram absorvidos pela sociedade brasileira, dando a eles um papel menor, e uma libertação fictícia. Foram libertos das senzalas de verdade, e foram colocados numa senzala metafórica, mas também é senzala. Os negros, queremos a libertação das senzalas das mentes de muitos, dos preconceitos abalizados por uma eugenia histórica. Chamaram foram os europeus para “embranquecer" a população, enquanto milhares e milhares de negros eram presos por não fazerem nada (será que eram sádicos, essa classe?).Zumbi nasceu em 1655, em um dos acampamentos do quilombo. Foi aprisionado em 1662, e dado ao padre Antonio Melo, que o batizou como Francisco. Zumbi aprendeu latim e português, e ajudava nas missas. Em 1670, fugindo, regressa a Palmares. Em 1675, ele revela-se como um grande estrategista, e se torna um dos grandes líderes desse quilombo, por causa de sua bravura em combate. Após 78 anos resistindo, Pedro Almeira, que governava a capital, tenta um acordo com Ganga Zumba, o que é rechaçado por Zumbi. Acreditava o herói que todos os negros deviam ser livres. Durante 14 anos, ele lideram a luta dos negros contra os portugueses, até que estes, usando de artilharia, consegue destruir Palmares em 1694. Foi uma grande derrota para o Brasil. Cercado, ele consegue fugir, embora ferido,e consegue sobreviver por um ano, mas um famigerado companheiro o trai; esse vendeu mesmo a alma. É morto pelos portugueses, que tinham horror a pessoas pensantes, e quefaziam algo contra seus abusos.
Esse herói (de verdade), morreu no dia 20 de novembro de 1695. Essa data foi descoberta em 1971, e tornou-se feriado nacional 30 anos depois, em 2011. Em 1600, escravos negros, foragidos do engenho de açúcar de Pernambuco, fundam, na Serra da Barriga (CE), o Quilombo dos Palmares, e 30 mil passam a morar na região. Vejam que coisa interessante, que esconderam de todos nós. A quem interessou esconder, por tanto tempo, essas datas históricas? A que classe pertencem? Que cor tem suas peles?
Nesse seu dia, a presença dos negros como grandes participantes da história do Brasil, deve ser lembrada, assim como são lembrados, em outras datas, heróis, mesmo que fabricados, mas foram feitos heróis; Zumbi, ao contrário, fez-se herói por si mesmo e pelos seus companheiros na luta ferrenha contra a opressão sem conta dos portugueses. Vivamos essa data, a verdadeira data dos negros.

Bruna Karla Coletânea de Ouro 17 Musicas