terça-feira, 31 de dezembro de 2013

A ILUSÃO DO SHOPPING

Dez da noite, e os trabalhadores e trabalhadoras de um shopping indo para casa depois de mais de 12 horas de pura exploração. Não podem nem ir ao banheiro fazer as necessidades, que o gerente ou o supervisor fica atrás, por causa do grande movimento que é nos finais de ano.
Eles têm que ser brancos e bonitos, não podem ter a pele mesmo que pouco escura, os burgueses não gostam, ou, se for negro, tem que ser muito bonitos, tipo deuses de mármore negros. Além do mais, eles precisam sentir orgulho de trabalhar num lugar onde a classe alta vai sempre.
E a verdade é que esses trabalhadores dos shoppings se sentem mesmo melhores que os outros trabalhadores, apesar de serem os mais explorados em meio àquele mar de lojas. Têm orgulho de pertencer ao uma loja daquelas, ou a algum empreendimento daqueles. Prestem atenção e vejam como eles olham um pobre, ou alguém mal vestido chegando para comprar em alguma loja daquelas. Vejam a forma de olhar deles, dos vendedores. Percebe-se logo o preconceito.
Logo eles, pobres também, explorados pela burguesia. Ficam tão embevecidos em trabalhar ali que não enxergam que são meras peças numa grande máquina, e também uns prisioneiros. Mas permanecem  na ilusão que são iguais com a elite que arrota por ali.
Quem trabalha num lugar desses não têm vida, não podem estudar à noite, não fazem um curso técnico, nem faculdade, só trabalho, pois para isso o sistema preparou eles, dando cursos de telemarketing, de escritório, de inglês básico, de cabeleireiro, de vendas, de cozinheiro, atendente, recepcionistas... Tudo de modo que eles não alcancem o nível superior, pois é assim que formam trabalhadores no Brasil desde o começo do século 20. Chegar a um nível superior, so para elite. Pobres são meros trabalhadores, e é para isso que devem ser preparados.
Os trabalhadores pobres devem ganhar o prêmio de serem meros coadjuvantes dos ricos, que os ajudam a terem seus carrões, seus luxos desenfreados. É incutidos em suas mentes que eles são trabalhadores de qualidade, os melhores, os mais bonitos os únicos que podem ser vistos como um quase igual com a burguesia, pelo menos na aparência. O shopping é uma mera ilusão, é como uma droga, e quem vai ali foi "programado" para comprar, comprar, comprar...

sábado, 28 de dezembro de 2013

AS MUDANÇAS

Não sei porque os finais de ano me deixam tão triste e pesaroso, mas também um tanto feliz por ter chegado ao fim da corrida, ao final da prova, com saúde e com tudo de bom.
Bate uma nostalgia boa dos tempos de outrora.
Tudo vai ser renovado e novas batalhas serão travadas e cada ano é uma mudança e uma surpresa.
Todo mundo faz promessas a Deus e a si mesmo, mesmo não cumprindo metade delas.
Todos querem prosperar e ser feliz, e muitas vezes através de caminho escuso.
Parece que nesses períodos as pessoas abrem a guarda para muitas coisas como beber, conversar com estranhos, beijar pessoas que nunca viu, fazer coisas incomuns. Final de ano e os motéis cheios, com gente que nem sequer deveria estar ali. E às vezes fazem isso por causa de um emprego, de um salário, e muitas outras coisas.
Fim de ano e fim de muitas coisas;espero que novos começos venham.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

CAPITUS

As mulheres são muito dissimuladas.Certo estava Machado ao criar o personagem Capitu, em Dom Casmurro. Nunca dizem abertamente o que querem nem o que fazem. Aparentemente aquelas que botam cara feia ou nunca sorriem são as mais sérias.Mero engano.
Já cansei de ver mulher de cara feia para aparentar ser uma mulher séria, apesar de estar vestida de uma periguete. Elas pensam que cara feia é ter moral. Nada a ver.Essas, muitas vezes, são as mais moral que muita gente.
Desconfio bastante dessas mulheres que vestem uma roupa apertada, onde aparece nitidamente certas formas de seu corpo, entram no ônibus e botam a bolsa na frente;aí eu pergunto: se ela realmente não quisesse mostrar não vestiria uma roupa apertada. Ou mesmo aquelas que vestem  blusas e deixam parte dos seios à mostra;veem um homem olhando e ficam puxando a blusa para cima. Quem não quer mostrar não veste esse tipo de blusa. Fazem isso para dissimular a própria vontade de ser cobiçada, usando a sensualidade para chamar a atenção, muitas vezes com o próprio marido de lado; e isso é intrínseco à maioria  das mulheres. Faz parte delas quererem ser admiradas, mas algumas são exageradas ou mesmo devassas. Essas são mais depravadas.
A mulher é mesmo quase incompreensível, mas algumas coisas são fáceis detectar. 
Aquelas que mostram cara feia são as que mais gostam de ser admiradas e cobiçadas.
É algo que quem observa vai perceber e aprender sobre a dissimulação da maioria das mulheres. Elas são mestres.

O BEM-ESTAR DE UMA DIETA

Fazer dieta está mesmo uma febre, mais do que antigamente. Já inventaram tantas dietas, tantas formas de emagrecer, que uma a mais, uma a menos, não faz diferença.
Já fizeram a da lua, do sal, dos chás verdes e tudo o mais, que se inventam aí, cada uma mais grotescas que outras. A verdade é que a dieta, e emagrecer mais um bem danado ao ser humano. Principalmente às mulheres, que precisam ser admiradas, paqueradas, precisam se sentirem atraentes, pois se não elas se acham menos do que valem, e a mídia ajuda muito, dando ênfase à beleza das modelos.
Mas isso é relativo, nem todo mundo gosta de mulher magra, alguns gostam das gordinhas.
A verdade é que dieta faz um bem a elas. Se sentem valorizadas e com um autoestima medonha. Tanto que a indústria de alimentos faturam milhões com esse modo de ser das mulheres, e a preocupação exagerada delas e ficarem sempre atraentes.
Não percebem que vão terminar escravas da dieta se não pararem com os exageros. Fazem dietas por prazer, e esse prazer é o modo delas se sentirem mais gente.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

ENXAME

Estava lotadíssimo o terminal da Macaxeira nessa quinta dia 19 (dezembro), parecia mais uma festa. Gente por todos os lados, e os policiais e vigilantes em polvorosa. Todas as paradas cheias, e se não fosse os vigilantes e policiais, aquilo já teria explodido.Está cada vez mais perigoso e o serviço está cada vez pior para quem tem que pegar todos os dias. Há ônibus que só saem de meia em meia hora, outras, menos que isso.
Aquilo está um barril de pólvora, e qualquer dia desses vai explodir. Ninguém vai segura esse povo enfurecido. A desorganização é grande também. Cada vez mais está piorando. O povo já não aguenta mais o demora e o mal serviço prestado.
Isso é algo que nem devia acontecer, as pessoas sendo tratadas como animais, em ônibus apertados como se estivessem em um tem nazista na Segunda Guerra. Era mesmo assim.
Em todos os recantos daquele terminal havia dezenas de pessoas e todos os ônibus saíam cheios, nem os velhos eram respeitados, pois as pessoas faziam de tudo para tomar seu lugar no assento, e não davam lugar a ninguém. Até quando?

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

TRANSPORTE INÚTIL

Fico bastante aborrecido todas as vezes que tenho que pegar ônibus nos terminais integrados, tamanho é o desrespeito aos que usam esses terminais. Parece que ninguém se importa com a segurança, parece que são mesmo parte de um gueto, como os judeus na Segunda Guerra  Mundial, sofrendo muito com  toda a perversidade.
As linhas que mais têm usuários também sofrem bastante, digo os passageiros. Acredito que esse sistema de transporte nosso não serve mais, já deu o que tinha que dar. Os ônibus são poucos, a desorganização é tremenda, o povo é muito mal educado, parecem animais brigando por causa de alguns restos de comida; a briga nos terminais é por causa de um lugar. Um único lugar, desde criança até velhos, brigam por causa disso. Vejam até que ponto chegamos. Pagar uma passagem só é tudo uma mera ilusão. Deviam acabar com esse sistema de transporte vigente, só quem está sendo beneficiado são as empresas que nele estão inseridos. As decisões são tomadas de modo que o povo, o maior interessado, não toma parte em nenhuma decisão que eles tomam lá dentro. Esses engenheiros que fazem esse sistema jamais andaram de ônibus, se não teriam feito algo melhor. Deviam se envergonhar de bem debaixo de seus narizes estar acontecendo esse absurdo.
Na Macaxeira mesmo acontece coisas que extrapolam o bom senso, e ninguém faz nada para resolver. A prefeitura nada faz para resolver e tudo continua dia a dia da mesma forma. É uma multidão que pegam os ônibus diariamente, e todos eles, principalmente Camaragibe, Igarassu e Maranguape 1, onde não ha limites para a mal educação e selvageria, por causa da falta de ônibus suficientes para eles.
Devia haver mais protestos, devia haver mais conscientização desse povo, para que não fossem mais manipulados por essa elite, os que detêm os meios de produção e serviços não oprimissem mais ninguém.