sexta-feira, 30 de setembro de 2011

CÁLICE AMARGO

Se perguntar a muitos alunos o que acham de certos professores, irão ouvir muitas coisas boas, e também muitas ruins, talvez esta supere a daquela. Não sei o que faz alguns professores acharem que detém poder quase absoluto. Só ele está certo, só ele pode ter opinião própria, e os alunos são meros depósitos de seus conhecimentos.

O respeito deve ser uma via de mão dupla. Aluno respeita e professor também. Não quer dizer que o docente é doutor em alguma coisa e detém o supremo saber. Tem a palavra final. É isso que alguns tem passado. Não gostam de ser contestados, principalmente na sala de aula, pois ele se vê num grande pedestal. Até mesmo aqueles que parecem ser mais legais cometem algum deslize. No restaurante Universitário, no CEGOE, nos corredores da universidade tenho conversado e escutado alguns alunos. Fazem comentários diversos sobre muitos deles. De áreas diversas. Imagine alguém que ensina ser chamado de “Cão chupando manga”, “Alma sebosa”, ou outro adjetivo que tenho ouvido alguns dizendo. As razoes eram muitas: perseguição, nota menor do que mereciam, mal humor, entre outras coisas. Certa professora foi afastada por ter por duas vezes ter reprovado toda uma classe, por puro  capricho. Que poder é esse que alguns acham que têm? É muito estranho mesmo, soberba total. É vergonhoso para um mestre ser odiado por seus alunos, não ser prazerosa as aulas. Há certo prazer de parte deles de parecerem maus e serem mesmo maus. Eles deveriam fazer com que suas aulas fossem vistas como algo que é importante e aprazível, mesmo para quem não goste muito de suas aulas. Cada um tem uma área que goste. Mas um docente que toda uma classe detesta suas aulas, alguma coisa séria está acontecendo com ele. É preciso rever isso. Em Letras há alguns bons professores, mas destaco duas docentes, Valéria e Rose Mary Fraga, pois dão belos exemplos para muitos deles. Procuram tornar as aulas atraentes, algo que dê prazer, embora tenha cada uma de suas matérias as devidas dificuldades. Mas é raro um aluno que não elogie as duas, como tenho ouvido de alguns colegas. O jeito meigo da professora Valéria e o modo objetivo da  professora Rose (ambas ensinam linguística) têm feitos muitos alunos tecerem elogios. Claro que não agradam a todos, algo quase impossível, mas são exemplos de mestres que procuram valorizar os alunos. Não esquecer de destacar a humildade delas, da mesma forma o professor Fabio, de Literatura.A professora Sherry, então, é uma sublimidade. Percebe-se que amam o que fazem, que procuram dar o melhor. Outros parecem mais carrascos, que estão ali para “testar” se os alunos são mesmo insistentes, que querem mesmo seguir a carreira, ou permanecer no curso. Amigos meus têm saído do curso de Letras pelo fato de alguns docentes serem rígidos demais, se sentindo perseguidos por eles. Infelizmente é assim.
Por isso se vê uma classe de trinta e cinco ou quarenta discentes ficarem só com dezoito ou quinze alunos. É triste isso. Vários colegas meus saíram de Letras pelas mesmas razões ditas acima. Ao contrário do que eu pensei e muita gente pensa não há em todos eles um  modo aberto de pensar, de respeitar realmente as opiniões contrárias, de escutar mais os discentes, e não ver eles como  inferiores, que não têm um pensamento maduro, sem muita cultura. Esse é um dos erros que muitos ensinadores cometem. E parece que não vai mudar nunca.

Seria bom se fossem fazer as perguntas aos alunos, eles elogiassem mais que criticassem de modo duro. Seria o modo seguro de ensinar e também de aprender.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

NO PÁTIO DO CEGOE

       O melhor lazer da RURAL é seguramente o pátio do Cegoe. Os estudantes ficam ali conversando, escutando rádio jogando dominó e principalmente utilizando a internet via Wifi.

São alunos de Biologia, Química, Matemática e outras. É muito prazeroso ficar por ali curtindo uma tarde, trocando ideias, estudando, ou jogando dominó. Quem quiser fique bem à vontade; e há até quem perca as aulas para estar ali com os amigos, marcando outros encontros e botando papo em dia.

Quem não quiser conversar nem fazer outras coisas como jogar dominó pode ir até a uma das duas salas quer há no mesmo andar, o primeiro, e ficar calmamente estudando. Elas são climatizadas. Uma é para estudar em grupo, a outra, só.

Mas a maneira de usufruir dele  é ficar nos bancos do pátio, no meio das árvores, curtindo a natureza. Os bancos são grandes, cerca de um 1,60 m. dá até para dormir. E alguns até fazem isso. Quem for lá pela tardezinha vai se deparar com um ou dois dormindo depois do almoço. No entanto outros preferem namorar mesmo, o que é mais prazeroso. Há bancos espalhados por toda a área ao redor do Cegoe. Os bancos perto dos portões da entrada, logo quando passa a guarita, eram muitos usados pelos estudantes que entravam na universidade e tinham que passar a tarde lá.  Levavam o almoço. Eu mesmo já almocei bastante ali. Da pracinha, dobrando a esquerda, há uma estrada que leva até à parada de ônibus. Uma estrada escura, uma parca iluminação. Vez em quando alguns vão por era para pegar um atalho para irem à casa do estudante ou ir ao CEAGRI II. É um lugar bastante aprazível. Há  várias salas de informática para quem não dispõe de notebook.

Também há muitos seminários e simpósios no auditório de lá. Palestras de História, Sociologia, e educação em geral. E é nesse mesmo auditório onde são recebidos os alunos egressos do vestibular. Não há lugar na Rural mais prazeroso que esse. Esse é o CEGOE.

SEM ACESSO DIRETO


A Drª Maria José se elegeu e os alunos estão querendo que suas promessas sejam cumpridas as promessas, uma delas é colocar salas de informática, pois a necessidade é  grande. Para que os alunos possam utilizar computadores é preciso ir para alguns setores de outros cursos, como o de Química, Biologia e outros.

Para se ter uma ideia do perigo que é ter de ir usar esses recursos. A estrada é muito escura, e algumas vezes alunos foram assaltados, dentre eles os de Letras, à noite. Eles estavam indo para um seminário sobre Max, no CEGOE. Dois caras numa moto roubaram o notebook deles. Inda bem que foram recuperados.

Quando o portão que dá acesso à avenida estava quebrado os alunos iam por ele, cortando o caminho. É um portão escondido do outro lado de onde tira a xerox. Faziam atalho por ali. Agora está fechado, mas há uma picada pelo mesmo caminho, que sai numa casa do estudante próxima. Esses perigos são enfrentados por quem quer utilizar esses serviços de informática e mesmo o Restaurante Universitário.

Se instalassem o Wifi iria facilitar muito a vida dos estudantes. Muitos deles têm notebooks e precisam usar para fazer trabalhos, pesquisas, etc.

Segundo se comenta, brevemente irão instalar uns micros para que os alunos usem, numa sala no prédio de onde funciona o curso de Letras. Espera-se isso com certa ansiedade. O curso de Letras é muito rico, dinâmico e  não pode ficar sofrendo essas deficiências.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

NAO QUERO DORMIR
NAO QUERO SAIR
SÓ QUERO ESTAR
COM MINHA VIVI.

NISE

COM ELA NAO TEM CRISE,
E NAO TEM DESLIZE;
ELA É DEMAIS,
MINHA DOCE NISE

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

E DEU MARIA JOSÉ

Um banho nos outros candidatos é o que define a vitória da Drª Maria José, para a reitoria da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Foi bem votada, praticamente o dobro do segundo candidato, o vice-reitor Drº reginaldo. Já o Hazin não conseguiu vencer dessa vez, quem sabe na próxima. A candidata vencedora ficou com 45% dos votos; o segundo candidato, 28% ;Hazin, 21,5% . Não deu para ele dessa vez. Já o professor Helio, o mais contundente dos candidatos, só alcançou inexpressivos 2% . Infelizmente não deu. Pode ser que tenham ficado com medo do discurso dele, que lembrava Edilson e Lula antigamente. Os alunos de Letras estão eufóricos com a vitória, pois essa candidata tem uma história com esse curso. Eles pediram que o curso tivesse um prédio próprio. Vamos ver se ela cumprirá o que prometeu a eles.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

ROSE


TUDO - ROSE
  

Me chama a atenção,
O sorriso de Rose,
A beleza de Rose,
Rose, de Rose.

Acho bonito
O caráter de Rose,
Inteligência de Rose,
De Rose, de Rose.

Gosto também
Da cultura de Rose,
Do não-saber de Rose,
Paradigma de Rose.

Gosto mesmo do sorriso,
Do caráter, cultura,
Paradigma de Rose,
Rose, Rose, tudo Rose.

Enfim, gosto da rosa
Em Rose,
O ser forte de Rose,
O ser frágil em Rose,
Rose, só Rose, tudo-Rose.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

SUMO

TEU SILÊNCIO FALA MUITO,
TANTO, QUE ATÉ SOBRA...
DE TI BOM É O SUMO
E ISSO É TUDO, QUEIROGA.

TAPAS E TAPAS

O clima está cada vez mais quente na UFRPE por conta das eleições para a Reitoria. A disputa está acirrada. Cada um está querendo a simpatia dos eleitores, mesmo que seja de forma um tanto estranha, métodos  que não sao tradicionais.
Uma dessas coisas estranhas está girando em volta do evento chamado "A maior calourada do mundo", promovida pelos estudantes, que um dos canditados está usando para acusar a Drª Maria José de estar usando o dinheiro publico para promover a festa. Por sua vez, os estudantes da Rural, através dos D.A.'s, dizem que foi com o dinheiro dos estudantes que a festa foi realizada. Não houve dinheiro do governo nisso. Creio que a verdade esteja com os estudantes.
os politizados DA's sempre mostraram que são lutadores, que lutam por seus direitos e que têm alcançado grandes coisas para os estudantes, juntamente com a candidata, por sinal a única mulher no páreo. Ela tem demonstrado mais compromisso que os demais, não só em palavras, mais em obras também. Pelo menos os estudantes de Letras pensam em votar nela, devido ao seu trabalho realizado com eles. E tem sido um bom trabalho. Desde o começo isso tem sido assim, nos bastidores ela tem sempre agido.
Mas talvez pereguntem o que tenho ganahdo com isso; digo: NADA! Apenas ach que devo dar minha opinião. A candidata merece ganhar essa eleição para que mude as coisas um pouco: nunca houve uma muher como reitora. Seria bom. Se houve o uso da máquina pública, cabe ao candidato da oposição não só acusar, mas levar isso ao Ministério Público, que agirá como deve agir; por outro lado, se for apenas uma mera acusação, isso é errado, pois estão querendo usar e manipular os estudantes. Talvez estejam esquecendo que somos seres pensantes, que não admitimos sermos manipulados, apenas isso. Se dermos uma chance à candidata Drª Maria, e se ela não cumprir o que disse, na próxima eleição isso deve ser revisto .Espero que o melhor candidato ganhe, que haja mais transparência e respeito nessa eleição.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

SEM LIVROS

No século do conhecimento, onde cada vez mais a tecnologia aumenta, ha alguns que não se dão conta disso. parece que ainda vivem num mundinho atrazado. Tenho passado por alguns lugares no suburbio e me deparado com livros novos e seminovos jogados no chão, podendo ser doados e usados por outras pessoas maisa carentes. e o interessante é que o lugar de onde eu pego esses livros é no suburbio. Pessoas que precisam disso, que são carentes. Será que nao percebem o que fazem? Que os livros sao valiosos para outros? Absurdo a falta de conhecimento. Depois culpam o governo, que nao da educação...Eles mesmos se prejudicam. E assim eles vivem.