quarta-feira, 1 de junho de 2011

NOSSO RESTAURANTE NA RURAL



Uma das coisas mais interessantes da RURAL (UFRPE) sem dúvida, é o restaurante universitário. Tem sido uma boa idéia isso. E o melhor é que muitos alunos comem de graça por dois anos ou mais; depois disso, dão lugar a outro.
A partir das 11 horas do dia começa a multidão a vir almoçar. Muita gente bonita. Gente de todo tipo, de todo lugar. Há os beneficiados com almoço ou janta grátis (só pode uma refeição por dia), e há aqueles que pagam a metade só. A maioria não pode pagar. Alguns vêm de muito longe, não trabalham, são de baixa renda. Dentre eles há quem seja inscrito nos programas sociais do governo. Merecem mesmo. Estudar com fome é uma das piores coisas que um estudante passa. Não ter dinheiro, por exemplo, para comprar uma pipoca sequer... Pense num sofrimento! Grande conquista essa!
Há alunos que comem muito, há os que fingem que não têm fome, e, para se mostrar educado, colocam no prato mesmo do que conseguem comer; alguns comem muito mesmo, descaradamente, como que para recuperar o que não foi comido em casa; há mulheres que se sentam do todo jeito, bem à vontade, mostrando partes interessantes do corpo. Comentam sobre tudo: prova, professor chato, professoras bonitas, garotas que ficam, as devassas, o time que perdeu...Muitas coisas...
Os que servem a comida também passam uma boa impressão para os frequentadores do Restaurante Universitário. Servem somente dois pedaços de carne por dia, para cada estudante um pedaço de sua escolha. A comida é bem variada; a bebida é durante  o dia, sucos de tulha, e, à noite, sucos e cafés. Servem também pão. A sopa é uma das comidas que mais atraem. Fazem de várias qualidades. A melhor que tem é a de couve, passado no liquidificador. É um cardápio atraente.
No almoço então, é uma multidão de gente. Um mar de cabeças enfileiradas ficam parecendo bandeiras redondas ao longo do salão. Para entrar, é uma fila quase que interminável. O que aborrece são uns engraçadinhos que furam fila. Pagam três, quatro almoços para os colegas, enquanto eles não vêm ou estão fazendo algo em relação ao curso. Aí chegam com a maior “cara de pau” e ficam nos seus lugares que foram guardados. Absurdo. A pessoa tem que se fazer de cego, que não está vendo nada. É bom manter a ordem, mas, para não haver discórdia,deixa para lá.           
Ir a esse restaurante é um prazer que ninguém deixa de ter. É bom. É viciante. Pena que não se pode comer as duas refeições de graça. Isso ajudaria aos estudantes a terem uma nota melhor.